terça-feira, 30 de abril de 2013

HC.

O meu coração estava pequeno, as lagrimas eram a única coisa que nos últimos dias tocavam na minha cara.
Depois de uma noite mal dormida, a pensar em ligar-te para me acalmares o coração, tu ligas-me!
- estou ?
- então minha M. , como estás?

Rapidamente o coração acalmou, o Mundo parou.
Já não te amo como te amei, porém e apesar de todo o mal que já m fizeste, tu continuas a ser o meu Porto de abrigo, tu continuas a ser a pessoa que mais me acalma que mais me chama para a realidade.
Falamos de tudo, ainda começaste a cantar as musicas que sabes que me fazem rir, e conseguiste porque me ri, ri-me muito.
Falamos quase uma hora ao telefone e só desligamos porque eu tinha de ir para o aeroporto.

Adivinhas sempre, adivinhas sempre quando preciso de ti.
Obrigada por teres ligado, por me fazeres rir.
Como tu dizes:
- o coração ainda bate por ti, mas já não bate com o mesmo sentimento de antes. Eu só quero que tu consigas ser feliz, não chores porque ninguém merece isto. Se um dia tiver uma filha, quero que seja como tu, que ame a vida, que lute, que nunca desista.

Obrigada pelas palavras que na altura me fizeram chorar e ainda fazem. Gosto de sentir o carinho que nos une.
Quando estas por perto, quando ouço a tua voz, sinto-me de novo protegida e deixo de me sentir perdida e só ...
Obrigada.


M.

2 comentários:

  1. Ter um porto de abrigo assim, realmente deve acalmar o coração e a alma

    ResponderEliminar